Alimentos transgênicos fazem mal à saúde? Saiba mais sobre

Os alimentos transgênicos correspondem aos alimentos geneticamente modificados (OGMs), ou seja, são aqueles alimentos cujo DNA foi modificado.

Essas modificações têm feito parte de toda indústria alimentar em diversos países, sendo um processo conhecido e que carrega diversas discussões e pontos de vista sobre o seu uso frequente nos alimentos.

Com isso, esses impactos são os mais diversos, desde o impacto positivo como na economia e nos preços como exemplo em um pão de forma integral valor, ao negativo destacando principalmente a saúde e os impactos a longo prazo.

Assim, essas discussões fazem parte de diversos locais e mercados em praticamente todo o cenário nacional e mundial, levando justamente em consideração os aspectos e processos que compõem cada etapa dessas modificações.

Esses alimentos são produzidos em laboratório usando técnicas artificiais de engenharia genética. Assim, o embrião muda quando recebe os genes de outra espécie.

Há muita discussão sobre a eficácia desses tipos de alimentos "artificiais", pois na natureza, muitos deles não são criados dessa maneira. Dessa forma, abrindo espaço para que se pense nos impactos na saúde e nos malefícios que podem ser causados.

Desse modo, conhecer o seu impacto e as formas de produção são um dos recursos necessários desde uma distribuidora de biscoito de polvilho a pessoas que fazem parte da população, tendo esse impacto em ambos os lados.

Há controvérsias sobre os nutrientes que contêm e suas implicações éticas, econômicas, sociais e políticas, fazendo com que as pessoas procurem entender ambas as partes e se posicionar diante desse cenário.

Esse método está presente em boa parte das alimentações da população, por isso entender os seus impactos é um dos ensinamentos e recursos necessários para que as ações possam ser tomadas devidamente através de cada informação.

A comercialização de engenharia genética e alimentos geneticamente modificados é considerada um campo promissor, pois oferece uma perspectiva inovadora no melhoramento tradicional de plantas.

Dessa forma, os transgênicos se mostram de uma forma promissora quando se trata do fator econômico, conseguindo estabelecer um cenário com que as empresas possam se beneficiar através desse processo.

Isso porque a manipulação do material genético de plantas e outros organismos contribui para uma alimentação não perecível, mais saudável e segura em primeiro lugar.

O teste de OGM visa aumentar a produtividade cultivando plantas e animais mais resistentes a doenças, pragas e mudanças climáticas, conseguindo de fato fazer essa implantação de uma forma cada vez mais impactante e com uma resistência ainda maior.

Através dessa resistência e desses métodos utilizados, podem ser notados mudanças desde os preços em um açaí atacado curitiba até diversos locais, estabelecimentos e pessoas que estão envolvidas nesse processo.

Por outro lado, há controvérsias sobre a natureza desses alimentos. Este fator está associado a efeitos de curto e longo prazo na saúde de humanos e animais. Em outras palavras, direcionar os lucros em detrimento da saúde pode ser um grande problema no futuro.

Esses problemas são extremamente graves diante dessa perspectiva apresentada, colocando em pauta justamente a saúde de cada um, o meio ambiente e diversos aspectos que sofrem impactos prejudiciais através desse processo.

Por isso, ter esse conhecimento geral e entender o processo realizado, são um dos fatores fundamentais para cada um, desde uma empresa de aparelhos para academia de pilates aos mais diversos ramos, pensando justamente nesses impactos e alterações diante desse cenário.

Ao entender o que são os transgênicos e parte dos seus impactos positiva e negativamente diante de cada um, acompanhe a seguir como são produzidos esses transgênicos.

Resumo deste maravilhoso conteúdo

Como são produzidos os transgênicos?

Alimentos geneticamente modificados são itens que foram modificados em laboratório usando técnicas de engenharia genética, abordando uma série de fatores e elementos para que essa modificação possa ser realizada.

Essas técnicas permitem que os cientistas inseriram genes de diferentes espécies em organismos para adquirir novas características. Os genes podem ser derivados de plantas, microorganismos ou animais.

Esses genes podem conter os mais variados compostos e derivações, fazendo com que justamente se tenha esses resultados obtidos e consiga se criar esses transgênicos através desse processo.

Esse processo se assemelha, por exemplo, a um fabricante de maquinas para industria alimentícia buscando justamente essas mudanças constantes no processo e na implantação de cada recurso utilizado.

Por exemplo, esse processo de produção de alimentos geneticamente modificados pode usar um tipo de milho que contém um pedaço de DNA de um vírus. Produtos geneticamente modificados são encontrados em uma grande variedade de alimentos.

Dessa forma, esses produtos podem ser encontrados em diversos meios, desde mercados e mercearias, até uma distribuidora de carnes para restaurantes sp, entre outros meios e locais.

Ao acompanhar como são produzidos esses transgênicos e como é feito sua utilização em diversos meios, veja a seguir as vantagens e desvantagens que esse método proporciona através da sua utilização.

Vantagens e desvantagens dos transgênicos nos alimentos

Dez anos se passaram desde que a produção de produtos geneticamente modificados foi lançada no Brasil (o primeiro produto alimentício lançado foi a soja modificada devido à pressão dos agricultores do estado do Rio Grande do Sul).

Desde que essas ações começaram a ser permitidas, as suas implantações em diversos meios começaram a ser praticamente certas, propagando desde um atacadista de frutos do mar aos meios mais variados.

No entanto, até hoje, ainda não faltam polêmicas e discussões sobre as reais vantagens e desvantagens dos alimentos transgênicos, fazendo com que diversas pessoas levantam uma série de fatores para entender e defender seu ponto de vista.

Não é por acaso que essas questões merecem atenção especial aqui: o Brasil é o segundo maior produtor mundial de OGMs depois dos Estados Unidos. Cerca de 90% de toda a soja cultivada em nossas terras é composta de transgênicos.

Dessa forma, essa implantação está mais que presente no meio de praticamente toda a população, ganhando proporções gigantescas conforme os anos e tendo ainda mais crescimento no mercado.

De acordo com organizações internacionais como as Nações Unidas, a principal vantagem do uso de sementes transgênicas são:

  • Aumento da produtividade: ainda mais rapidez através desse processo;
  • Resistência: as plantações se tornam mais resistentes a pragas e pesticidas;
  • Agilidade: podem ser colhidas mais rapidamente com menos perdas;
  • Preço: benefícios aos agricultores e preços mais baixos dos alimentos;
  • Mais acessível: dá acesso a diversos alimentos para toda a população.

Com isso, os transgênicos e sua propagação são defendidos justamente por levar em consideração esses fatores e fazer com que as pessoas tendam a ter essa consciência sobre as melhorias e facilitações.

No entanto, mesmo com os benefícios oferecidos, os riscos dos OGMs são significativos, tanto para a saúde agrícola quanto para a saúde do consumidor. Por isso, conhecer essas ações e se posicionar diante disso são um dos recursos fundamentais.

Dessa forma, esse impacto deve ser algo que deve conscientizar e fazer parte do conhecimento de toda a população e das empresas, tendo esse conhecimento desde uma máquina envasadora de iogurte a um restaurante de comidas típicas de alguma região específica.

Muitos estudos nesta área apontam para os riscos potenciais para a saúde dos alimentos geneticamente modificados como graves. Acompanhe alguns dos malefícios causados por essa ação.

- Alergias: após a modificação genética, os organismos podem produzir novas substâncias que causam alergias. Algumas alergias podem até causar a morte, por isso o tratamento precoce é essencial para reduzir e eliminar a suscetibilidade a elas.

- Resistência aos antibióticos: na produção de produtos geneticamente modificados, os cientistas usam substâncias que podem se tornar resistentes aos antibióticos, permitindo que transmitam essa característica aos alimentos.

- Aumento de substâncias tóxicas: através da modificação genética, as plantas que contêm toxinas podem prejudicar o meio ambiente, humanos e animais.

- Aumento dos resíduos de agrotóxicos: os alimentos também são afetados, pois as ervas daninhas e pragas são mais resistentes devido à inserção de novos genes e requerem mais agrotóxicos para contê-los.

Os OGMs são híbridos que não ocorrem ou ocorrem naturalmente no meio ambiente, levando os modelos agrícolas a um caminho insustentável - levando a um crescente descaso com a alimentação e a qualidade de vida.

Por isso, a sua utilização e aumento cada vez mais constante faz com que as empresas e as pessoas tenham esse alerta em sua mente, considerando esses malefícios e o quanto esse processo aumenta conforme os anos.

Prestar atenção à alimentação e ao estilo de vida é crucial porque nossas ações acontecem ao longo do tempo e podem ter consequências para o bem ou para o mal. Assim, podemos lembrar o ditado: "nós somos o que comemos".

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Nutricionista Gustavo Schneider

Nutricionista CRN2 8501 - Formado pela Universidade do Vale do Itajaí (Univali) e Especialista em Nutrição Esportiva pela Universidade Gama Filho (UGF). Entusiasta do uso de suplementação alimentar consciente e alimentação saudável

Separamos estes conteúdos especialmente para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Go up